terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

Pecorrendo os caminhos da Água da Prata

No decorrer dos trabalhos de campo relativos à elaboração da Carta Arqueológica do Concelho de Évora foi, recentemente, levado a cabo um trabalho de prospecção sistemática da envolvente directa do aqueducto da Água da Prata.

Este trabalho, realizado ao longo dos relevos adjacentes a ambos os lados do percurso, permitiu, até ao momento, a identificação de um marco miliário e de diversos espaços de ocupação pré-e proto-históricos, romanos e medievais/modernos.

A mais recente batida realizada com este objectivo, a 20/01/2010, permitiu a identificação, entre outros, de um interessante conjunto arquitectónico, facilmente enquadrável entre os finais da época medieval e o inicio da época renascentista.

Este conjunto é constituído por uma azenha, uma represa e uma pequena capela; situa-se na ribeira do Pombal, a cerca de 700 metros para Sudoeste de onde esta se cruza com o aqueducto da Água da Prata. Estes três elementos encontram-se relativamente bem conservados embora estejam consideravelmente encobertos por um manto vegetal, em alguns pontos, quase intransponível.


Azenha tardo medieval/renascentista da ribeira do Pombal


Represa adjacente à estrutura molinária anteriormente referida e que pareçe constituir a sua fonte de alimentação.
Pequena capela, bastante degradada; situada entre a azenha e a represa esta pequena estrutura parece-lhes ser contemporânea e encontra-se adornada por 7 pequenos anjos (pintados no seu interior). Algumas destas pinturas, já bastante destruidas pela humidade, encontram-se em risco de total desaparecimento.

1 comentário:

The Translator disse...

Caro Mário,

É com enorme prazer que encontrei o seu blog. Não estou ligado à arqueologia, mas sempre me senti fascinado por essa matéria. Estou neste momento a marcar no Google Maps todos os pontos de interesse na zona de Évora e Reguengos de Monsaraz para através do meu tablet estabelecer uma rota para visitar os locais. Poderia me indicar um site ou uma referência onde posso encontrar a Latitude e Longitude (ou outras referências exactas) de todos os locais existentes, os quais sei que ultrapassam os 900. Procurei as Cartas Arqueológicas de Évora e Reguengos no Google e não consegui encontrar. Muito obrigado e parabéns pelo blog. Um abraço.